Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 10 de abril de 2016

TOMMY JAMES & THE SHONDELLS


Em 1958 aos onze anos, a família de Tommy James se mudou para Niles, Michigan.Aos doze anos, formou sua primeira banda, chamada Tom and the Tornadoes. Em 1963, mudaram o nome para The Shondells.

Em 1964, um DJ local da rádio WNIL, de Niles, fundou seu próprio selo, Snap Records. Os Shondells foram umas das bandas locais gravadas por ele. Uma das canção foi a obscura "Hanky Panky", de autoria de Jeff Barry and Ellie Greenwich. A canção fez muito sucesso localmente, mas o selo não tinha recursos para promovê-la nacionalmente e logo foi esquecida.

Em 1965, um DJ em Pittsburgh, Pennsylvania encontrou uma cópia de "Hanky Panky" e a tocou como se fosse "exclusiva" da rádio. A resposta dos ouvintes foi positiva, que quiseram saber onde poderiam conseguir uma cópia do "novo" compacto.

Um outro DJ começou a tocar a canção em festas locais. De olho na demanda, um pirata local gravou a canção do rádio em fita cassete e começou a prensar cópias da mesma. As vendas da cópia pirata foram estimadas em 80.000 unidades.

O DJ de Pittsburgh "Mad Mike" Metro localizou Tommy James e informou a ele que a canção era o maior sucesso da cidade. Tommy quase desligou o telefone na cara do DJ, mas foi convencido a ir para a Pennsylvania e fazer aparições promovendo o não mais esquecido compacto. Logo, Tommy estava em Nova York vendendo o master original de "Hanky Panky" para a Roulette Records.

No final do verão de 1966, era o compacto mais vendido do país. Mais cinco que chegaram às dez primeiras posições: "I Think We're Alone Now", "Mirage", "Mony Mony", "Crimson and Clover" (o segundo e último a chegar na primeira posição nos EUA, "Sweet Cherry Wine", e "Crystal Blue Persuasion".

Tommy James and the Shondells recusaram um convite para tocar no festival de Woodstock, alertados pelo seu empresário, que achou que seria um suicídio para a carreira da banda.
A capa do disco "It's Only Love" foi a primeira foto profissional tirada por Linda Eastman McCartney em 1966.



Nenhum comentário: