ISAO TOMITA


Isao Tomita morreu em maio de 2016 aos 84 anos. Ele foi um dos pioneiros da música eletrônica, um fascínio nascido quando do contato com o trabalho de Wendy Carlos, autora da banda-sonora de Laranja Mecânica, e de Robert Moog, o inventor do famoso sintetizador.

Em 1971, quando já contava mais de uma década de trabalho enquanto compositor para a televisão, cinema e teatro japonês, encomendou e começou a trabalhar com um dos primeiros Moogs chegados a território japonês.

No ano seguinte, editou Electric Samurai, Switched on Rock, álbum em que gravou versões eletrônicas de canções pop e rock. Em 1974, chegou aquela que se tornaria a sua obra mais célebre, Snowflakes are Dancing, em que os mesmos princípios de Switched on Rock eram aplicados à música de Claude Debussy.

O álbum tornou-se um sucesso global, sendo nomeado para quatro categorias dos Grammy e subindo ao primeiro lugar na Billboard dedicada à música clássica – muitos anos depois, em 2014, Ben e Joshua Safdie resgataram-no para a banda sonora do seu filme Heavens Knows What.





Paralelamente ao trabalho que continuou a desenvolver para cinema e televisão, foi aumentando a sua discografia com álbuns no mesmo espírito de Snowflakes are Dancing, editando Firebird ou Pictures From An Exhibition, inspirados nas obras respectivas de Stravinsky e Mussorgsky.

A sua música se tornou referência marcante para, por exemplo, Ryuichi Sakamoto e os seus Yellow Magic Orchestra.

Nos anos 1980 desenvolveu e apresentou mundo fora os concertos ao ar livre Sound Cloud, em que colunas de som rodeavam o público para proporcionar uma experiência imersiva.

Em Janeiro de 2016, dizia ao The Japan Times que a sua prioridade era manter-se saudável. “Mas gostaria de adiantar "Dr. Coppelius" o máximo que me fosse possível, de forma a que, mesmo que algo me aconteça, outros possam terminá-lo”. O coração o traiu antes do tempo. O legado continuará. E a obra derradeira certamente que não ficará inacabada.

Nenhum comentário: